domingo, 13 de março de 2011

Uma farsa chamada Chico Xavier



por Johnny T. Bernardo

Natural de Pedro Leopoldo, Minas Gerais, Francisco Cândido Chavier (1910 – 2002), conhecido como “Chico Xavier”, começou a exercer a função de médium espírita psicógrafo aos 17 anos de idade. É autor de mais de 400 livros psicografados, além de inúmeros bilhetes e breves mensagens. A Federação Espírita Brasileira (FEB) apresentou pessoalmente Chico Xavier, com seus livros, por diversas cidades dos Estados Unidos, Inglaterra, França, Itália e Portugal. Uma das mais destacadas consequências práticas dessas viagens foi a fundação do “Christian Spirit Center”, em Ellon College, Carolina do Norte (EUA).
A Trajetória de um louco
Marcel Souto maior relata que quando começou a ter as primeiras visões, ainda criança, Chico passou a ser chamado de louco pelo próprio pai e por moradores de Pedro Leopoldo. Só sua mãe o entendia, mas morreu cedo, quando Chico tinha apenas 5 anos. Logo depois da morte, ele começou a ver – e ouvir – o espírito da mãe no quintal da madrinha. Era com ela ( o espírito) que Chico desabafava. [1]
O próprio Chico confessou mais tarde com relação a sua iniciação mediúnica:
“Meu pai queria me internar em um sanatório para enfermos mentais (...) Devia ter suas razões; naquela época me visitavam também entidades estranhas perturbadoras”. [2]
Que entidades estranhas eram essas que visitavam Chico Xavier? Certamente eram os mesmos demônios que o acompanharam durante toda sua vida, e através dos quais ele foi iniciado no espiritismo. Os espíritos que Chico supostamente dizia ver e ouvir, eram na verdade demônios que assumiam a forma de pessoas mortas. Não é de estranhar, pois o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz (2 Cor. 11.14).
O Cruzeiro
Quando começou a ganhar fama nacional, lá pelos anos de 1940, Chico Xavier foi procurado por um dos repórteres mais implacáveis da época, David Nasser, da revista “O Cruzeiro”. Cansado de ser alvo da desconfiança e da curiosidade dos repórteres, Chico tentou escapar a todo custo, mas foi vencido por um artifício usado por Nasser. O repórter enrolou a língua, começou a falar um francês arrastado e, com a ajuda de seu fotógrafo estrangeiro, Jean Manzon, convenceu Chico de que eles tinham vindo de muito longe, de Paris, só para entrevistá-lo.
Chico decidiu então dar a primeira entrevista internacional de sua vida e foi além. Reclamou do assédio da imprensa e dos visitantes, e pousou para fotos nas situações mais extravagantes. Até dentro de uma banheira ele apareceu em fotos de página inteira na revista “O Cruzeiro”.
Quando a edição chegou às suas mãos, Chico desabou. No meio da crise e do choro, viu seu guia, Emanuel, surgir no quarto:
- Por que você está chorando?
- Por quê? É muita humilhação, um vexame..
Emanuel encerrou a choradeira com um trocadilho:
- Jesus foi para a cruz. Você foi só para Cruzeiro. [3]
Chico foi uma fraude do começo ao fim. Ser entrevistado por um repórter francês seria uma oportunidade unica. A França é o berço do espiritismo moderno, onde Allan Kardec publicou seus primeiros escritos e a partir de onde o espiritismo se alastrou pelo mundo. Ter uma entrevista publicada em Paris seria bom para sua imagem: ele deixaria de ser alvo de críticas no Brasil, e seria reconhecido como médium e santo. Mas no lugar da honra, veio a desonra. O Brasil foi inundado por uma edição da revista “O Cruzeiro”, que trazia estampada na capa uma foto de Chico Xavier dentro de uma banheira numa posição extravagante. Para quem não sabe, Chico Xavier era homossexual e adorava pousar para fotos. Uma atitude estranha para alguém que dizia ser “iluminado pelas forças lá do alto”.
Um bilhete para o além
Marcel Souto Maior nos relata algo inusitado.
“Em 1996, Chico pendurou na porta do quarto um bilhete endereçado aos espíritos.O texto, escrito com letra miúda e trêmula, avisava: naquela noite ele dormia no quarto ao lado, por causa de uma obra na caixa d' água sobre o quarto. Se algum amigo espiritual quisesse fazer uma visita, deveria ficar à vontade. Chico teria muito prazer em recebê-lo no endereço provisório. Amanhã já voltarei ao meu próprio aposento”, comunicou no bilhete, antes de se despedir. [4]
Como diz o pastor Natanael Rinald: quem entende semelhante barafunda? Chico Xavier poderia ser animador de palco, não fosse um médium confuso. Mesmo supondo que um espírito poderia se comunicar com ele, o que aconteceria se um espírito vindo da Europa se deparasse com um bilhete escrito em português? E se fosse um japonês, um árabe ou um africano? Teria Chico um espírito tradutor a sua disposição? Um bilíngue?
A paranóia emocional de Chico chegou a um ponto tão alto que ele não sabia mais distinguir vivos de mortos.
“Na mesma época, uma senhora se aproximou de Chico no Grupo Espírita da Prece e foi cumprimentada por ele com uma pergunta preocupante:
- Desculpe, mas a senhora está viva ou morta?
- Viva, Chico.
- Graças a Deus. Suspirou Chico.
Era comum Chico confundir vivos e mortos e cumprimentar o invisível. [5]
O Médium é desmascarado
Como acontece com todos os falsos profetas, Chico Xavier não passou na análise crítica e cientifica e tornou-se desacreditado do ponto de vista religioso, científico e filosófico. Nada do que ele dizia ver e ouvir foi realmente comprovado, e suas alegações de “humildade”, “despreendimento”, “analfabetismo” e “pobreza” sabe-se não corresponder com a verdade.
Antes que qualquer especialista denunciasse Chico como impostor, ele foi denunciado por Amauri Pena, sobrinho e auxiliar do médium. Ele disse, em entrevista ao Diário de Minas, que “tudo o que ele psicografou foi criado por sua própria imaginação, sem que precisasse de interferência de almas do outro mundo. Resolvi contar toda a verdade por uma questão de consciência. Não denuncio meu tio como homem, mas como médium”. [6]
A resposta veio logo em seguida. Amauri Pena foi ridicularizado e denunciado pelo próprio pai como “alcoólatra” e “doente de alma”. Chico Xavier usou todos os recursos e influência que tinha para calar o sobrinho, alegando não ter qualquer relação com ele e que Pena nunca participou de nenhuma reunião ao lado dele. Mais uma vez o médium faltou com a verdade. Todos sabem que Amauri Pena era auxiliar e homem forte de Chico, sendo na época o indicado para substitui-lo futuramente no trabalho de psicografia.
Mal acabou de se recuperar, o médium sofreu um novo revés. A pedido do repórter Hamilton Ribeiro, Chico Xavier “psicografou” uma mensagem do “espírito” da mãe do sr. João Guignone, presidente da Federação Espírita do Paraná. Acontece que tudo não passou de uma artimanha de Ribeiro – a senhora “comunicante” estava viva em Curitiba. Ribeiro continua:
“Agora vou ler a receita psicografada do pedido que fiz hoje em nome de Pedro de Alcântara Gonçalves, Alameda Barão de Limeira, 1327, ap. 82, São Paulo (...)" Na letra inconfundível de Chico, lá esta: Junto dos amigos espirituais que lhe prestam auxílio, buscaremos cooperar espiritualmente ao seu favor. O que pensar disso? "Nem a pessoa com aquele nome, nem mesmo o endereço existem. Eu os inventei”. [7]

Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2011/02/uma-farsa-chamada-chico-xavie...
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

10 comentários:

  1. mentir é feio senhor, muito mesmo, querer provar algo sobre chigo mentindo não lhe faz verdadeiro, lhe faz pequeno, guarde suas verdade para a sua empresa, ops "igreja"...

    ResponderExcluir
  2. Johnny T. Bernardo,
    Quanta preocupação de encontrar provas contra alguém com uma filosofia espiritual e suas crenças!
    Chico Xavier foi um ser humano como qualquer um, com suas qualidade e defeitos, inclusive que se ele era homosexual e em alguns momentos deixava isso transparecer, era de direito dele,até porque ser uma pessoa iluminada pela espíritualida a favor de ajudar o próximo e com alguns dons, não significa ser Santo, Deus ou Cristo, apenas um instrumento, como tantos outros que conheço de diversas religiões, inclusive pastores.O que não impede que exista fraude em todas as religiões também, e relato aqui um dos casos, o que mais me abriu os olhos, é um muito conhecido e amado pelos irmãos da igreja,que assedia meninas de qualquer idade,e nem mesmo garotas ou mocinhas da família foram poupadas.Quanto um dos casos veio a público, nada foi feito e a resposta que a própria vítima teve foi que ele é uma pessoa cativante e que tinha muito valor para conquistar as pessoas, a igreja precisa de pessoas assim para ajudar a manter e ganhar mais convertidos.Ele é o braço direito do Pastor Presidente e continua sendo visto por todos como um homem de Deus que profetiza, fala línguas estranhas,e tudo mais. A vítima em questão, teve o afastamento dos sobrinhos(filhos dele), da irmã, e nenhuma outra vítima quis se comprometer e denunciar, principalmente quando a história foi mudada para preservar o tal homem de Deus e colocaram em dúvida a integridade da vítima.Casos assim acontecem muito mais do que são divulgados.
    O papel do verdadeiro cristão não é julgar ou ficar procurando denegrir a imagem de ninguém e sim continuar a levar os ensinamentos e agir com amor( o que deveria ser o maior aprendizado colocado em prática)e deixar que a verdade ou mentira seja revelada no tempo de Deus.Já ouviu dizer que mentira tem perna curta?
    Ela não precisa de ajuda para ser revelada, é só aguardar e confiar que Deus, sem se reocupar que o espiritismo esteja cada vez mais ganhando credibilidade.Não poderia ser diferente, pois o verdadeiro espírita, tanto quanto o verdadeiro envangélico ou de qualquer outra religião, se conhece e entende as leis de Deus, não se preocupa com o comportamento do próximo e nem o trata de forma pejorativa, sabe respeitar e deixar que Deus cuida do que está certo ou errado no seu devido tempo.
    Enquanto o senhor está preocupado em revelar algumas provas contra Chico Xavier, coisas maravilhosas estão acontecendo em favor da caridade, e essa é uma das coisas boas que Chico nos deixou.Faça isso também e sentirá o prazer de acreditar mais em Deus e que para se afirmar não precisa difamar.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. como tem gente que tenta usar a imagem das pessoas para aparecerem chico xavier era uma pessoa iluminada por Deus que so fazia o bem e ainda sim existe uns palhaços que vem ao mundo para tentar destruir a imagem dessas pessoas a so pra vcs ficarem sabendo sou católico e não espírita mas admiro muito pessoas do bem como chico xavier

    ResponderExcluir
  5. eu não acredito em mediun, chico chavier, como todos os outros são uma farsa, ninguem fala com mortos,mais tem muita gente com o coração triste pela perda de um ente querido, e essas pessoas se dizendo mediun brinca com sentimentos, essas pessoas ainda continuam enganando pq existe pessoas fracas de espirito. quando vc perder alguem se agarrem na fé em Deus, só ele pode dá o conforto pra sua alma,aqui nesse mundo não existe ser iluminado, pq o único mora no céu,JESUS CRISTO, a quem devemos toda honrra e glória.

    ResponderExcluir
  6. Como pode alguém ser tão ignorante ao ponto de tentar julgar alguém assim, de forma tão fanática.

    Fico pensando, como a ignorância + religião pode levar as pessoas a perder a noção da realidade.

    Lamentável, ver no dihitt mensagens como esta.

    Abraço

    ResponderExcluir
  7. Religião: re-ligare. Ligar-se ao Divino...
    Dizem que religião é o ópio do povo. Que religião causa discórdia e divisão entre os homens. Mas quando dizem isso, referem-se a 'religiões' menores. A verdadeira religião pressupõe respeito ao ser humano e suas crenças. Portanto quem usa de subterfúgios para atacar as outras crenças não tem nada a ver com os propósitos divinos. Deve servir a outros propósitos...

    ResponderExcluir
  8. Obrigado irmão por seguir meu blog.
    Fiz o meu com o seu!


    www.twitter.com/ViniNaves2011
    http://pescadordorei.blogspot.com

    Fique na paz!

    ResponderExcluir
  9. Esses pentecostais (e outros) são loucos. Melhor ainda, chamá-los de loucos é agressão aos desamparados pelas faculdades mentais! São uns hipócritas totais!!! Filhos de um deus soberano, "macho", vingativo, que não ama todos os filhos de forma equânime, caso contrário, não daria muito a poucos e pouco a muitos... daí eu acreditar na reencarnação, ,pois só assim eu consegui compreender e sentir essa tal energia divina de forma coerente! E se nosso querido Chico foi ou não um homossexual, certamente valeu muito mais do que muitos machões assumidos e cafajestes que não sabem o sentido do que significa "tentar" ser um cristão!!! Todos hipócritas, fico com nojo... pior ainda, em pleno século XXI (imagino o quanto o Cristo deve ter tido paciência com a ignorância humana!!!!) Desculpem, mas isso pegou fundo em mim, ignorância fomentada e semeada machuca muito mais do que determinadas dores físicas!!! Fui...

    ResponderExcluir
  10. Não acho que o assunto aqui é uma ofensa as religiões e também não deixei meu comentário em um confronto de religiões certa ou errada, e sim pelo julgamento de uma pessoa que não se dizia livres de comportamentos humanos para fazer algo bom.Penso que pessoas usando o nome de Deus tem em todas religiões e não devemos nos prender com o que concordamos ou não em cada uma delas e sim fazer o nosso melhor a favor do bem para todos.E se tem provas de falsa mediunidade provada por um ou alguns,também existe comprovações que dificulta a desmoralização de Chico Xavier.

    ResponderExcluir